terça-feira, 25 de maio de 2010

Vereadores se reúnem com moradores do Assentamento Baixa verde IV




Os Vereadores João Evangelista e Ângelo Suassuna participaram agora a pouco de um reunião com os moradores do Assentamento Baixa Verde IV, na Chapada do Apodi, distante cerca de 25 km da sede do município.

Liderados pelo presidente da comunidade, o Sr, Isaias os Vereadores ouviram todo o relato dos moradores individualmente, um dilema que vem se arrastando há 03 anos, e que até a noite de hoje não foi ainda resolvido।

Isaias explicou que eles têm todo o material do poço, informando que estiveram duas máquinas na comunidade, mas que até agora o que ficou foi um prejuízo de mais de 4 mil reais, que foram levados por pessoas ligadas ao DENOCS, e que nunca mais voltaram ao Assentamento।

Evangelista foi taxativo dizendo que não foi até lá pra vender ilusão, que não iria prometer que amanhã já iriam começar a cavar o poço, como alguns fizeram, no entanto prometeu empenho junto ao governo do estado, já em uma reunião que terá com Iberê na próxima sexta-feira, e que já a partir de quinta-feira próxima na sessão cobrará, sendo a partir de agora uma cobrança semanal।

Ângelo foi enfático em dizer que os moradores não esperassem a solução vinda do município, pois o mesmo havia prometido através do secretário Eron o valor de 10 mil reais, para levar a maquina que estava na comunidade e trazer outra, e até hoje a comunidade não viu mais a máquina e nem o dinheiro prometido।

“Quando eles vierem prometer outra vez vocês não acreditem, pois vocês já foram enganados, e não podem ficar prejudicados mais uma vez” completou Ângelo।

“Eu não espero mais nada vindo da prefeita, pois ela prometeu e não fez nada por nós, deposito toda confiança em vocês Vereadores, pois vejo que são os únicos que ainda olham para a população mais carente” disse Clesivan, morador do Assentamento।

“Vamos fazer zuada, ir onde for preciso, cobrar da prefeita até que ela resolva o problema de vocês, bateremos em todas as portas, pois a chama de falar por vocês reacendeu dentre de nós” Finalizou Evangelista।

Nota do Blog: Tive o privilégio de acompanhar toda a reunião e mais uma vez vi no rosto daquele povo, a maioria meus amigos, meus ouvintes um sentimento de revolta, principalmente para com o Poder Público।

Pra você caro leitor ter uma idéia, faltando uma semana pras eleições municipais, a na época candidata Goreti, mandou pra lá uma máquina, para perfurar o dito poço, coagindo a maioria a votar na mesma, mesmo assim nada foi feito, o povo foi enganado।

Eles também foram enganados por funcionários do DENOCS, com mais de 4 mil reais, e depois mais uma vez pelo poder público que prometeu 10 mil para contratação de uma outra máquina para perfurar o poço na comunidade, e eles ainda continuam esperando por esse dinheiro।

Desde a inauguração do Assentamento, acompanho o drama daquelas pessoas que são reféns de políticos que não tem a honra de cumprir se quer uma palavra empenhada. Uma vergonha!

4 comentários:

  1. É uma vergonha essa administração de Apodi. Totalmente comprometida com agiotas, enquanto que a população é totalmente esquecida. Acorda Apodi. Vamos tirar essas mesmas pessoas do poder. Parabens aos vereadores em ação.

    ResponderExcluir
  2. A situação desse assentamento é muito dificil com relação a possuir água propria em seu imovél.

    A prefeitura de Apodi, desde o mandato de Dr. Pinheiro, procurou empresas para construir dois poços nos dois assentamentos da Baixa Verde, mas nenhuma se candidatou a fazer esses poços, inclusive a minha empresa.

    Depois foi a vez da prefeita Gorete contratar uma empresa para fazer um dos poços com uma profundidade de 160mt mas essa empresa passou mais de três meses construindo esse poço mas não passou de 70mt e desistiu. Esse poço está servindo para retirá água somente para o rebanho bovino e caprino.

    A prefeita Gorete também conseguiu uma máquina do DENOCS para fazer esses dois poços mas não conseguiu fazer nenhum poço pois a máquina tentou em três locais diferente, durante mais de 20 dias e os buracos feitos não passaram de 15 a 25 mt de profundidade cada.

    O problema é que naquela localidade existem várias cavernas entre as pedras dificultando a construção de um poço.

    Para si ter uma ideia foi preciso colocar uma carrada com seis metros cúbicos de tijolos "comuns" dentro de uma caverna na construção desse poço de 70 mt e depois apareceu outra ainda maior e a empresa desistiu do serviço.

    A solução é contratar uma empresa que possua máquinas apropriadas para construir poços profundos (Aquelas contratadas pela Petrobras) e tentar fazer esses poços. O governo estadual não possui esse tipo de máquina.

    Naquela mesma região existem mais dois assentamentos chamadas de Groelandia, na Chapada do Apodi, pertencente ao estado do Ceará, que está na mesma dificuldade para perfurar dois poços.

    Só sei de uma coisa: Não é só com os canos, que o assentamento possue, que se faz um poço. O Incra era para dá apoio a esses assentados mas os abandoram.

    Só sei de outra coisa: O Incra fez dois poços de 160 mt cada, no assentamento Caiçara no município de Apodi e todos dois poços não possuem água. Nenhum pingo de água saiu dos dois poços.

    ResponderExcluir
  3. Evangelista Filho28 de maio de 2010 06:28

    Amigo Heider gostei muito dos seus esclarecimento com uma resalva apenas, insoluvel então esse problema? precissamos esclerecer essa gente de quer é necessarios que saiam daquela localidade? alguns politicos ja foram lá e prometeram inresponsavelmente que resolveriam tal problema, é ai onde reside o problema. Na reunião que estive presente no Baixa Verde prometi somente a eles levar uam resposta concreta sem metiras, sem enganação, gostaria de saber do amigo se posso usar essa explicação de sua pessoa para colocar um ponto final e dizer: mesmo que venha a maquina especializada da Petrobras ainda assim não é certeza de uam boa agua e portanto a solução e abandonar as casas.
    obrigado grande engenheiro agronomo.

    ResponderExcluir
  4. Empresas que trabalham perfurando poços de petróleo perfuram 5000 metros brincando, com caverna sem caverna, com rocha de todo tipo que encontrar no caminho, tanto na horizontal como na vertical. Mas não fazem as cegas. Existe uma avaliação sobre o geologia do terreno que vão desde informação com empresas que já fizeram qualquer tipo de perfuração nas proximidades, montando um quadro das condições do subsolo.
    O serviço, com certeza, é caro, mas se conseguem retirar óleo a 7000 metros, como é que não conseguem água a 500m ou 250m?

    ResponderExcluir